Kpop: Comebacks de junho

Monsta X, grupo de Kpop

Se aqui no Ocidente a gente tem que esperar uns anos para artistas como Lady Gaga e Lorde lançarem algo, na Coreia do Sul não dá tempo de piscar os olhos que seu artista favorito lançou algo. Mas fica tranquila que aqui no Headcanons quando o assunto é Kpop, se uma piscar, tem mais três pra ficar de olho nessa enxurrada mensal na indústria musical da Coreia do Sul.

Vamos ao movimentadíssimo mês de junho que teve disband de girl group que marcou geração, comeback do rei do kpop, e projetos solos nessa review feita pela equipe capopeira – Ingrid, Tassia, Juliana e Priscylla. Junho foi, definitivamente, o mês dos girl groups e do G-Dragon (claro).

 

Hyoyeon – Wannabe (feat. San E)

Ingrid: Depois da ok “Mystery”, Hyoyeon volta com a inesperada “Wannabe”. Confesso que da primeira vez que ouvi, nem consegui terminar a música. Aqueles pseudo raps jogados, não dava. Mas aí o hate tava tão grande com essa música, que resolvi dar a chance pra uma live. Viciei num nível que fiquei o dia inteiro ouvindo e tentando aprender a coreografia hahaha mas no outro dia nem lembrava mais da música… como acabei baixando, toca no meu aleatório as vezes, mas nada a comentar a não ser o micão do San E dizendo que era feminista mesmo…

Tássia: Uma decepção depois de “Mystery”… Pelo menos ela continua linda, né?

Juliana: O refrão foi a melhor parte da canção pra mim, Hyoyeon cantando rap parece meio forçado. É um comeback ok, que será esquecido quando este post for publicado.

Priscylla: Não gostei nem do refrão, pra ser sincera. O rap ficou forçado mesmo e o refrão tá tão desconectado do restante, pra mim, que virou o refrão de Never Ever (é o exemplo que uso quando refrão parece nada a ver).

 

G-DRAGON – Untitled, 2014

Ingrid: Comeback do ULTIMATE BIAS não poderia ficar só num comentário, né? Dissertei sobre esse álbum e suas peripécias nessa review <3

Tássia: Só ouvi uma vez e já não esperava nada de GD voltando com BALADA (não por ser balada, e sim porque GD… não é exatamente um cantor que funcione nessa área). E realmente, não me decepcionei. Saudades “Coup D’Etat”.

Juliana: Só G-Dragon mesmo pra me fazer gostar de baladas, apesar de não ser minha favorita do mini álbum.  A música é uma boa trilha sonora pra montanha russa de emoções que as/os VIP’s (nome do fandom) passaram esse mês com comeback do líder, o “escândalo” do T.O.P e sua hospitalização em seguida.

Priscylla: Meu kink é quando um rapper foda faz as vezes de singer e continua foda. ESSE HOMEM. Adiciona aí o efeito G-Dragon, não tem como não babar nesse comeback. Pode ser que o fato de eu ser paga-pau do GD influencie muito e eu não esteja neutra, mas vida que segue. E essa tour mundial que não vem pra solo brasuca ein.

 

Daehyun – Shadow  

Ingrid: Depois do ótimo, mas curto, comeback do B.A.P em março (com um single álbum de apenas 3 músicas), foi anunciado que teríamos um projeto novo de dois membros! Dae Hyun x Jong Up — Project Album [Party Baby] viria com um solo de cada um deles. Sem nem ao menos lançar um MV decente pras faixas, primeiro foi Daehyun que soltou sua música, e que música! Nas apresentaçãoes do single dá pra ver que ele apostou no sexy concept, cantou, dançou e arrasou MUITO! O main vocal do B.A.P provou que vai muito bem sozinho, pena a Coréia não valorizar as maravilhas que o B.A.P e seus membros lançam.   

Tássia: Se tem um grupo que me deixa triste de não ser tão reconhecido, esse grupo é o B.A.P. ESSA MÚSICA TÁ INCRÍVEL, me lembrando Ace do Taemin misturado com boybands dos anos 90, complementado pela voz linda desse moço. COMO QUE A COREIA IGNORA ISSO? Não entendo.

Juliana: Uma das coisas que mais amo em comentar os comebacks todo mês é sempre descobrir músicas boas. Escutei Shadow pela primeira vez só no finzinho de junho e não fazia ideia do popzinho delicioso que estava perdendo. Recomendo muito mais ver a apresentação (obrigada pelo link, Ingrid) do que o pseudo MV, pois a coreografia é um charme a mais.

Priscylla: Mesmo se eu não gostasse, eu gostaria porque é B.A.P. based. A Coreia dorme demais com B.A.P. e qualquer projeto relacionado a eles. Ainda bem que a gente tá bem acordada e não perde esses tiros. O comeback stage realmente tá pouco melhor que o pseudo MV, mas o pseudo MV tá dark do jeito que eu gosto.

 

Pentagon – Critical Beauty

Ingrid: Aaaaaaaaaaaaaaaaa, tava ansiosa pelo comeback deles!!! “Critical Beauty” vem com um conceito rock anos 50 que deixou toda essa volta ainda mais charmosa, destaques para os ternos risca de giz coloridos e pra vibe Elvis do início da música! O refrão desacelera um pouco, mas não perde o ritmo! Ainda colocaram uns elementos circenses no mv, curti! O ponto fraco vai para o resto do mini álbum, não que esteja ruim, mas eles não conseguiram ainda lançar nada melhor que o debut álbum, um dos melhores álbuns de debut dos últimos tempos pra mim! Todas as titles deles são legais, mas o grupo tem que voltar a investir nas outras músicas se quiserem ter uma discografia que não seja só seus singles. No mais, amei o cabelo novo do bias Yeo One, ficou todo homenzinho meu filho! <3

Tássia: Desde Triple H virei E’Dawn biased e quase não tive olhos para meu antigo amor Yeo One. Achei interessante o sample de Elvis no início, diferente do que a gente tem visto por aí, mas o resultado final não ficou tão catchy quanto o single passado deles.

Juliana: Cube não perdeu a oportunidade e colocou Hui e E’Dawn juntinhos para minha alegria e o bolso deles. Só conhecia os dois do grupo, mas apartir de agora ficarei de olho. Achei o single animadinho na medida certa, porém minha parte favorita mesmo foi o mini dueto do E’Dawn com o Wooseok (já tô aprendendo!) que começa logo após a segunda sample do Elvis. Quanto ao MV, adorei toda a estética circense e achei todos muito bonitinhos de ternos coloridos.   

Priscylla: Babies demais. Tem um rapper que eu adoro a voz nesse grupo, mas não sei reconhecer por ainda não ter conhecimento suficiente sobre eles. Mas quase certeza que é o E’Dawn. Adorei o MV coloridinho e fofo sem ter aegyo irritante, só fofo do jeito certo.

 

NCT 127 – Cherry Bomb

Ingrid: A SM odeia o 127, só pode ser isso. Desde que essa unit debutou, com a bizarra “FireTruck”, eu sinceramente não entendo porque eles só lançam singles meia boca. “Limitless” é MUITO melhor que “Firetruck”, por conta do refrão, que é ótimo, mas as rasgadas do Taeyong simplesmente não descem. Ao invés de evoluir, “Cherry Bomb” repete os mesmos erros do single passado: é muito longa; tem uma line distribution horrível (aqui temos uma música da subunit NCT T&M, já que só o Mark e o Taeyong cantam); tem um design de comeback muito brega (eles tão conseguindo superar Mr Simple, o que nunca achei que fosse possível), apesar de ser uma graça todos em tons de rosa; e, ao contrário da passada, não tem um refrão bom, tem algo tão repetitivo que gruda e irrita. A SM definitivamente quer fazer deles o grupo de hip hop da empresa, mas esse conceito só combina plenamente com os dois rappers já citados, membros como Taeil, que tem uma voz maravilhosa e super mal aproveitada, ficam bem descolados. Eu gosto do NCT, gosto dos membros (meu filho Haechan ta super emo gótico, porque fizeram isso com ele de novooo), e gosto de várias músicas, outras canções desse álbum poderiam ser titles MUITO MELHORES que essa! Juro que não entendo o bullying que eles sofrem! O ponto alto, que dá pra ver bem nessa live, é que eles DANÇAM MUITO! Isso é um fato, algo que ninguém tira deles. As coreografias sempre são boas, mas as música não conseguem acompanhar. O 127 ainda vai ter que caminhar muito pra chegar nos irmãos mais novos do NCT Dream, pra mim, o melhor e mais equilibrado NCT em conceito, músicas e danças de todos.  

Tássia: A SM usa drogas nas músicas que funcionam muito bem comigo, fico viciada de um jeito inexplicável em 90% das músicas que eles lançam. Na primeira ouvida, Cherry Bomb não desceu. Estranha, repetitiva e muito longa. Na décima, aprendi a apreciar o segundo rap do Mark e o break de dança, que é muito bom. Agora que já passei uma semana com o mini no repeat, não me incomodo mais com a música. Concordo que todas as outras faixas seriam singles melhores, mas SM quer ser indie, fazer o quê?

Juliana: A primeira vez que ouvi isso também achei longa demais, repetitiva demais e a letra  me lembrou de uma música infantil (“if you are happy and you know it clap your hands yo” é praticamente “se você está contente, quer mostrar pra toda gente/ se você está contente bata palmas”), mas depois de ver a dance practice algumas muitas vezes estou adorando “Cherry Bomb”. O MV tá uma bagunça, é outro que prefiro ver as apresentações, já que a melhor parte é a coreografia MARAVILHOSA! Eu amo principalmente a parte final quando eles estão enfileiradinhos. Aí aí. Por fim, acho que a Taylor Glasby, na coluna da Dazed, resumiu muito bem a música: “Cherry Bomb” might take a little time to stick, but don’t underestimate its ability to do so.

Priscylla: Que música longa, socorrooooooo. Mas eu gostei na primeira ouvida já. Eu gosto de tudo que o NCT 127 já lançou até hoje. O MV tá estranho, não sei dizer o motivo, mas está. Acho que tem muito elemento desconexo, não tem um conceito claro. Isso me incomoda. E esses figurinos com estampa ao estilo militar que só muda a cor já deu né. Mas a música grudou no meu ser.

 

Jongup – Try My Luck

Ingrid: O QUE DIZER DESSE SER HUMANO? Quando o ‘dance machine’ do grupo resolve fazer solo, ainda em sexy concept, não tem como dar errado! Plus que a voz dele é maravilhosamente linda e estável! JongUp não precisa mais provar que se basta, não é mesmo? Recentemente ele já tinha nos presenteado com um solo, a ótima”Now”, do também maravilhoso álbum Noir, do B.A.P (só HINOS nesse álbum, recomendo muito a felizmente reconhecida “I Guess I need you” e a subestimada “Walk”), mas agora ele vem cheio dos dançarinos, das coreografias e dos high note com “Try My Luck”! Mesmo sendo também um sexy concept, é bem diferente da “Shadow” do Daehyun, o que é ótimo! Cada um com seu brilho fizeram um ótimo projeto paralelo juntos! Pena que só são duas músicas, queremos mais!!! E aconselho MUITO ver o dance practice dessa música, Jongup de boné – sem mostrar o rosto direito – dançando numa sala à meia luz é de causar palpitações em qualquer ser humano <3

Tássia: Faço minhas as palavras da Ingrid, não tem muito o que falar sobre esse maravilhoso! E logo teremos outro solo do Yongguk, pelo visto :)

Juliana: Mais uma pra acrescentar na lista de ótimas descobertas. Gostei especialmente da instrumentação de “Try My Luck”, tem uma vibe mais R&B, uns sons que não sei bem definir. Menção honrosa pra mudança na melodia que acontece por volta dos 3min.

Priscylla: Mas ele era uma criança esses dias e já tá homão desses????????? If you are happy to know BAP, clap your hands *clap clap*. O dance practice tá maravilhoso. O B.A.P. é um excelente grupo porque é formado por excelentes membros. Eles brilham separados e ainda mais quando estão juntos. Fórmula perfeita.

 

Cosmic Girls – Happy

Priscylla: Em termos de coreografia, foi bem fraquinho. Mas eu gostei da música e do MV em si. Não ficou enjoadinho esse estilo de explosão de cores como geralmente me faz sentir. Achei com potencial de chicletinho e até pseudo-dancei durante de tão alegrinha que é a música. Quem escreveu essa música foi o Black Eyed Pilseung, um time de produtores e compositores (Rado e Choi Kyusung) que é o time que compôs Cheer Up e TT do grupo Twice. Poder de música chiclete de grupos de garotas esse BEP tem demais.

Tássia: A Starship aprendeu com a Jellyfish (e pelo visto com a SM também) a escolher as piores faixas como single. Com ESSA MARAVILHA no álbum, escolheram promover a irritante Happy. Se é pra ouvir esquisitice, vão ouvir isso aqui que é melhor.

Juliana: Não odiei na primeira vez que ouvi, o que já é um bom começo pra essas músicas chicletes fofinhas e teve até umas dancinhas contidas quando escutei de novo. Contudo, continua sendo algo que não colocaria na celular pra ouvir no dia a dia.

Ingrid: É errado ter me remetido a Twice? hahaha okzinha

 

T-ara – What’s My Name?

Tássia: T-ara superando Sistar nessa nova categoria de “músicas de disband”. As lindas se despedem (BOATOS de que elas voltarão a se unir no final do ano e continuar as atividades em uma gravadora chinesa) com elegância e poder, numa música que não deixa a desejar perto da discografia impecável que possuem. Não está perfeito, mas em um mundo onde recebemos isso e isso, não dá nem pra reclamar, né?

Ingrid: Ainda prefiro Lonely hahaha mas talvez porque eu não conheça nada de T-ARA, então a música não funcionou tanto pra mim, mas é uma boa música.

Juliana: Também prefiro Lonely e olha que não conhecia Sistar.  Quem sabe se ouvir mais algumas vezes mude de opinião, mas no momento o single de despedida não desceu. O MV é bem sem gracinha também, né, elas passam boa parte dele apenas sendo lindas e perfeitas olhando para a câmera adoravelmente.

Priscylla: Nope. Apenas… não. Podia fazer algo tão, mas tão mais impactante de despedida.

Tássia: Vocês que não conhecem T-ara, ouçam isso. Apenas um dos singles entre uma das melhores discografias do Kpop inteiro!!! Eu juro!!! Conheçam. Já. Ouçam o Absolute First Album se possível também.

 

Nine Muses – Remember

Priscylla: O MV começa já com tiro. Literalmente. Não tem como ser ruim dali em diante. A música tá maravilhosa, elas estão lindas demaaaaaaais demais demais. A história do MV tá forte, incrível. Que bando de mulher poderosa num grupo só. Um grupo que passou por tanta mudança na composição dos membros, atualmente só tem 5 integrantes (mas a Sungah não participou desse comeback) em 7 anos consegue fazer um comeback bom desses não é pouco.

Tássia: A história do Nine Muses é tão frustrante que acho impossível não gostar delas, nem que seja só por tudo que elas já passaram. Como se não fosse suficiente, elas também possuem uma das melhores discografias do Kpop e praticamente nenhum reconhecimento. Esse comeback só reafirma a qualidade das musas, que estão cada dia mais lindas e conseguem manter um grupo desfalcado com uma qualidade que não se vê por aí atualmente.

Ingrid: Outro grupo que não conheço bem, mas gostei muito mais dessa música que a anterior, e amei os vocais!!!

Juliana: Se de T-ARA eu, pelo menos, tinha ouvido falar, de Nine Muses até a existência passou despercebida por mim. Percebemos que girlgroups não são meu ponto forte. Agora, falando desse tiro (piadas ruins <3) de MV a história me deixou meio confusa.  É uma crítica à indústria? É sobre vingança? O que é puramente estética e o que faz parte do enredo? Não sei, mas continuarei revendo não tanto pra achar uma resposta, e sim, porque a música gruda muito depois de um tempo.

 

Monsta X – Shine Forever

Tássia: Meu primeiro pensamento ao ouvir essa música foi “Monsta X realmente achou uma sonoridade pra eles”. Apesar de possuir algumas semelhanças com outros releases por aí, na minha opinião o instrumental poluído (característico desde os tempos de “Trespass) os vocais marcantes do Kihyun e os raps do I.M e Jooheon fazem essa música instantaneamente reconhecível. A conclusão (ou seria o prólogo?) da trilogia The Clan (que supostamente terminou com “Beautiful) deixa mais perguntas do que respostas, em mais um MV lindo desses meninos. Só falta o first win.

Juliana: Diferente de “Beautiful”, que começa com tudo (e continua maravilhosa <3), “Shine Forever”vai construindo o hype aos poucos e utiliza sem-pudor de elementos conhecidos do pop eletrônico. Depois de ouvir algumas vezes fica um tanto enjoativa, mas os meninos estão lindos no MV. Só não entendi de novo (cuidado com a burra) o enredo, se é que tem algum.

Ingrid: Eu amei isso <3 a farofa eletrônica, o MV conceitual (Minhyuk é o vilão ou eu não entendi nada? hahaha), A VOZ DO KIHYUN (dono do comeback!)! Confesso que esperava uns negócio mais agitado na coreografia ao vivo, mas ok, o final compensou! ŚO FALTA O FIRST WIN MESMO!

Priscylla: ,SDÇDMDFLD,G.G, MONSTA X SENDO MARAVILHOSO. Eu não vou nem me arriscar nisso de história de prólogo ou pós trilogia porque eu sou burra demais. BTS é único grupo que entendo algo e geralmente é 30% e esses 30% vem de leitura de posts no tumblr. Voltando ao Monsta X: essa música soa muito eles (me lembrou um pouco Hero por alguma razão), isso é legal. Uma característica musical deles que não os impede de diversificar, contudo. Monsta X tem todo o potencial do mundo, só falta povo prestar mais atenção neles e apoiar mais.

 

BLACKPINK – As if it’s your last

Juliana: Eu acho BLACKPINK tão superestimadas. Alguém me explica como um grupo que tem apenas 5 músicas na discografia inteira faz um sucesso desses? Não vou negar que“As if it’s your last” é uma farofa bem feita, mas em algumas cenas do MV eles abusaram demais da estética colorida e vibrante características dos outros vídeos.

Tássia: Ju, acho que é porque elas são da YG… Hahaha. E bom, são só 5 músicas, mas todas são melhores do que a discografia inteira do Twice, né? Não tenho muito o que reclamar. Acho que elas tem potencial, e “As If It’s Your Last” é daquelas que demora pra colar, mas que vicia muito depois. Fora isso, elas são lindas demais mesmo com esses figurinos esquisitos.

Ingrid: RAINHAS SÃO RAINHAS! E não acho que o sucesso delas é porque elas são da YG não, gente, NCT, Winner e Ikon tão aí pra provar que só ser de empresa grande não garante popularidade, tem que correr muito atrás para ficar no topo dos charts coreanos! Elas são lindas, talentosas, e o Teddy soube entregar as músicas certas pra elas, que só lançaram HINOS! Até a música menos popular delas tem 60 milhões de views!!!!! Mais uma vez, a YG fez todo mundo que esperava o primeiro full álbum do grupo de trouxa, nos dando um comeback com apenas UM SINGLE! E o que parecia uma farofa a lá Boombayah pelo teaser, não é nada disso: “As if it’s your last” é uma farofinha quase fofa, não chega a ser aegyo, mas é alegrinha como os singles delas nunca foram! Sempre apostando no girlfriend concept, elas se mostram diferentes aqui, mas com uma música não menos viciante! E dando créditos a quem merece: sempre a bias Jennie me chama mais atenção em tudo que o BlackPink faz, mas esse comeback definitivamente foi da Lisa, que arrasou com as madeixas ruivas, fez um rap que é a melhor parte da música e até cantou o refrão! Se não for pra MITAR o BlackPink nem sai do porão da YG rs <3  

Priscylla: Meu girl group favorito!!! Primeiro pelo qual me apaixonei num mundo que me empurrava Twice goela abaixo. A música soa bem diferente das primeiras do grupo, o que é bom. Não é por serem da YG, não. Winner é e eu tenho 0 feelings por eles. Empresa grande nem sempre resulta em sucesso assim grande de primeira. PS: A Jennie tá absurdamente linda.

 

MAMAMOO – Yes I Am

Tássia: Primeira música do Mamamoo que eu consigo não achar extremamente chata e “olha só minha proeza vocal”.

Ingrid: Saudades “Decalcomanie”! Essa música é meio estranha, o refrão parece um pré refrão e simplismente ta faltando alguma coisa… não sei explicar. Mas o MV tá bem bonito!

Juliana: Não é a melhor coisa que já lançaram, mas achei bem gostosinha pra ouvir de vez em quando e elas estavam lindas, principalmente a Hwasa (que mulher!).

Priscylla: Agora meu segundo girl group favorito. Que mês! Eu adorei de verdade porque amo de paixão os vocais delas então tem nadinha que não tenha me agradado. O MV, em especial, tá engraçadinho bem do jeito Mamamoo de ser. Adorável demais.

 

JinSoul (LOOΠΔ) – Singing in the Rain

Tássia:  A contraparte azul de Kim Lip mantém as altas expectativas com o LOONA, que até hoje só teve singles incríveis. Singing in the Rain está entre minhas favoritas, com um MV lindo e sua aura hipnotizante.

Ingrid: PISA MENOS, LOONA! Quando eu achei que o auge do grupo fosse o que Kim Lip mostrou mês passado – muito superior a qualquer outro single das outras integrantes do futuro grupo –, JinSoul, nova bias, vem pra mostrar que Loona pode pisar muito mais!!!! Ela não se contém e entrega uma farofa mesmo, com coreografia sexy, dança na chuva e um vocal maravilhoso! A idol trás um conceito sereia que combina muito com a proposta e deixa tudo ainda mais lindo! Um dos melhores lançamentos de “girlgroup” deste mês! Vem salvar o kpop feminino logo, Loona!

Juliana: LOONAs de all-star branco > outras LOONAs. Eu geralmente não sou uma grande fã de future bass, porém adorei “Singing in the Rain”. O MV tá lindo e combinou muito com a música, sem contar que a JinSoul também ajuda demais (vocês não sabem o quanto eu me contenho pra não comentar “meu deus, que mulher linda” em tudo).

Priscylla: Gostei muito do MV, talvez não tanto da música. LOONAs é muito talentoso, mas não sei se ao ponto de serem as salvadoras dos girl groups do kpop.

 

BOA – Camo

Tássia: É POR ISSO QUE A BOA É A RAINHA DA COREIA!!! Que música maravilhosa. Que mulher maravilhosa. Em um single especial, lançado de repente e que não vai ser nem promovido, BoA nos lembra da qualidade de seu som, sua dança precisa e sua beleza impecável. Como ter favoritas depois disso?  

Ingrid: Amei a coreografia, ela ta linda, corpão maravilhoso, farofa boa, ARRASOU!

Juliana: Depois de rever o MV muitas e muitas vezes cheguei a conclusão que isso TÁ BOM DEMAIS. Adorei a coreografia, essa mulher é linda, o instrumental não é carregado, o que faz a música ser viciante e nada enjoativa. Enfim, tá bom demais.

Priscylla: Tem uns elementos muito bonitos, principalmente em relação ao corpo dela se transformando. BoA é rainha e rainha não perde o posto fácil.

 

Taemin – Flame of Love

Tássia: Sayonara Hitori faz seu comeback versão mais lenta e dobradora de fogo. Já tinha demorado a me adaptar à carreira japonesa do Taemin, já que Sayonara Hitori demora pra engatar e parece uma balada qualquer durante quase toda sua duração, e agora somos presenteados com Flame of Love – que não tem um clímax recompensador como a primeira e é só um drama visualmente bem apresentado. Eu quero é um comeback desse Taemin aqui.  

Ingrid: TAEMIN É IGUAL A PEDRA FILOSOFAL, TUDO QUE ELE TOCA VIRA OURO! Hahaha sorry por essa metáfora, mas é muito real! Até quando ele faz paródia de abertura de anime esotérico virando a Katniss Everdeen ele L A C R A ! “Flame of Love” é exatamente isso, seguindo o mesmo clima conceitual de “Sayonara Hitori”, só que com vários fogos no lugar do gótico. Mais uma vez, o vocal maravilhoso e a dança contemporânea perfeitamente executada de TaeGod são destaque, e ele entrega exatamente o que o conceito dos seus solos japoneses propõe! Logicamente que ainda tô no aguardo de quando ISSO vai voltar, mas me conformo só de Taemin continuar existindo no cenário coreano/japonês mesmo :)

Juliana:  Visualmente é bem interessante, tem coreografia contemporânea cheia de pulos, tem momentos Taemin dobrador de fogo, momentos Fenix renascida sem camisa. Agora, achei a baladinha tão chata que nem o vocal salva.

Priscylla: QUE MV LINDO! Taemin é uma das melhores coisas do kpop. Segundo maknae mais bonito do kpop, na minha humilde opinião. Sobre a música: meh, sei não. Não é bem meu gosto pessoal, mas soa bem impactante ouvir mesmo sem o visual do MV.

 

PLAYLIST DE JUNHO

 

About Juliana Bittencourt 2 Articles
Estudante de jornalismo, que vive inventando "projetos" só para largá-los uma semana depois e está sempre meio perdida. Culpa o signo pela nada leve tendência em dramatizar tudo. Assiste mais seriados do que pode e bebe mais café do que deveria. Já quis ser Rory Gilmore.

1 Comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*