Top 5: Teorias de conspiração sobre músicos

É comum todo mundo querer saber tudo sobre a vida de pessoas famosas. Informações sobre elas são gritadas por todos os cantos: jornais, revistas, TV e, principalmente, pela internet. Também pode acontecer de as pessoas inventarem coisas sobre celebridades, que podem ir de difamações horríveis a apenas coisas risíveis de tão difíceis de acreditar. E é disso que eu vou falar: das minhas 5 teorias de conspiração favoritas sobre astros da música.

 

#5. O pacto demoníaco de Xuxa

A Xuxa foi minha primeira ídola, no comecinho dos anos 2000 – enquanto minhas amiguinhas do pré assistiam Rebelde, eu ficava o dia inteiro pulando com qualquer que fosse o Xuxa Só Para Baixinhos que tivesse sido lançado naquele ano. Mas, antes disso, ela foi a ídola da minha mãe, das minhas tias e de várias outras pessoas lá nos anos 80. E é dessa época que datam essas histórias que hoje têm status de lenda urbana e ocupam, junto com o homem do saco e a loira do banheiro, o imaginário de várias crianças do Ensino Fundamental nesse Brazilzão. (As crianças ainda acreditam na loira do banheiro?)

Enfim, o centro da teoria de conspiração é que ela fez um pacto com o diabo para ser famosa e que ela teria espalhado evidências disso nos seus discos e seus gestos. As maiores evidências são suas músicas, que revelariam mensagens subliminares se os discos fossem tocados ao contrário, principalmente a música “Ilariê”. Também tem o fato de – na época, pelo menos – ela se referir a figuras divinas como Jesus ou Deus apenas como “o cara lá de cima” por ser proibida de falar o nome dele. Enfim, tá tudo aqui.

Mas, claro, ela já desmentiu isso tudo e até fez piada com o assunto num vídeo promocional de Stranger Things, ano passado. Rainha (dos baixinhos) mesmo, né?

 

#4. Avril Lavigne está morta

Tá, essa é famosa até: em 2011, foi criado um blog – o avrilestamorta.blogspot.com.br – sobre como a Avril Lavigne teria se matado logo após o lançamento do primeiro CD por não ter aguentado as pressões da fama. Como ela estava produzindo o segundo CD na época, uma sósia foi contratada para ser a nova Avril, e deixou pistas disso nas músicas, clipes e na linguagem corporal. O site foi levado como piada desde então e é a fonte do meme do “morreu e foi substituída”. Até aí tudo bem.

Só que, em 2015, um membro do Buzzfeed estadunidense tweetou sobre o blog e vários sites começaram a falar sobre como se a conspiração fosse real, tipo o Noisey. O problema é que o blog foi criado justamente pra mostrar como é fácil criar uma teoria de conspiração – tem outros ainda mais absurdos, como o da Demi Lovato e o da Anitta. Bem, pelo menos dá pra dar umas risadas.

 

#3. As mensagens escondidas de Taylor Swift

A Taylor Swift é uma das artistas mais bem-sucedidas e mais odiadas pela internet da atualidade e coisa e tal. Mas essa teoria é menos teoria e mais fato curioso: a coisa de ela deixar mensagens ocultas nas letras dos encartes dos CDs, que podem ou revelar sobre quem a música foi escrita ou contar uma historinha ou sei lá.

Isso é um hábito de desde o primeiro álbum, em 2006, em que a mensagem da música “Our Song”, por exemplo, é “Viva apaixonado”. As mensagens continuam como comentários pessoais (“Algum dia irei encontrar isso”, em “Love Story”), mensagens pros fãs, que depois do segundo CD já procuravam ativamente as mensagens (o “para vocês” em “Long Live”), ou pro “assunto” da música mesmo (tipo o “quando eu parei de me importar com o que você pensava” em “We Are Never Ever Getting Back Together”). O encarte do quinto álbum, o 1989, conta uma historinha.

E bem, só a pesquisa dessas mensagens no Taylor Swift Brasil (pra ver todas, você vai em “carreira”, depois “eras” e vai escolhendo os álbuns) já me deixou com saudade da Letícia swiftie que existiu de 2012 a 2014. Eu até abri o Spotify pra matar a saudade, mas aí lembrei que não tem Taylor por lá.

 

#2. Paul McCartney também está morto

Em 1966, Paul McCartney, cantor, compositor e multi-instrumentista dos Beatles, morreu em um acidente de carro. Como a banda tinha fama mundial, contrataram um sósia para ficar no lugar dele e os outros Beatles deixaram pistas nas músicas e nas capas dos álbuns. Parece familiar, né? Mas essa teoria é mais antiga que a da Avril Lavigne, e com matérias de jornais e até livros a sustentando.

Tudo começa em 9 de novembro de 1966, quando Paul colide em um cruzamento com outro carro e tem o crânio esmagado, o que impede o reconhecimento do corpo. Como os Beatles tinha um contrato milionário com a Capitol Records, foi contratado um sósia chamado William Campbell (ou Billy Shears, o nome que é dito no finalzinho da música Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band). Depois de passar por cirurgias plásticas, ele ficou igualzinho ao Paul e virou membro da banda. Os outros membros deixaram dicas – a mais famosa sendo o John dizendo o que parece ser “eu enterrei o Paul” no final de “Strawberry Fields Forever”, ou a capa do Rubber Soul, que traz os membros olhando pra baixo, tipo uma sepultura.

O acidente realmente ocorreu, mas foi de moto e Paul saiu dele apenas com um lábio cortado e um dente quebrado – o que dá pra ver nesse vídeo de “Paperback Writer. A teoria da morte do cantor foi noticiada pela primeira vez numa rádio em 1969, como uma brincadeira, que foi levada a sério e obrigou o Beatle a dar uma entrevista desmentindo tudo.

Dá pra ler tudo aqui enquanto aguardamos o que pode ser mais uma visita de Paul McCartney ao Brasil no segundo semestre desse ano. Ou seria o sósia?

 

#1. One Direction e o Babygate

Depois de uma teoria sobre a maior boyband do século XX, por que não colocar a mais recente, sobre a maior boyband do século XXI (ou pelo menos, dessa década)? A teoria do babygate diz que o filho de Louis Tomlinson com Briana Jungwirth, Freddie, simplesmente não existe. “Ah, mas como assim, não existe?” É, não existe.

A teoria foi criada quando Briana apareceu grávida em 2015, e as evidências são até mesmo de antes disso. Quem mais defende a teoria são as fãs que shippam Louis com outro membro, o Harry Styles, e que fizeram investigações incrivelmente extensas pra provar que a moça nunca esteve grávida e que a criança ou era filha de outra pessoa ou um boneco hiperrealista. Aparentemente, tudo fazia parte de um plano do management da banda para distrair as pessoas do ship de Louis e Harry – ou Larry, pra facilitar.

A maior parte da teoria é sustentada por fotos divulgadas por paparazzi ou pelos próprios Louis e Briana. A mais comentada é essa daqui, onde Louis aparece supostamente sem muitas das suas tatuagens, o que sustenta a teoria de que as fotos em que ele aparece com o bebê são puro photoshop. O resto tá aqui (em inglês). Dá pra ler ouvindo “Sign of the Times” repetidamente.

 

Então, é isso. É verdade ou coisa de doido? Não sabemos. Mas eu quero acreditar.

About Letícia Dornelas 1 Article
O Gavroche da internet, de 99-quase-2000. Orgulhosamente do Goiás e entusiasta de headcanons assexuais, Doctor Who e literatura brasileira, não necessariamente nessa ordem. A maior lufana do sudoeste goiano, Da Letras™ e eternamente brava com quem pergunta se a Capitu traiu ou não.

1 Comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*