Kpop: Comebacks de março

Monsta X – Beautiful

Uma das características mais marcantes do Kpop é a profusão de lançamentos. Por ser uma indústria altamente competitiva, os artistas precisam constantemente lançar músicas novas (o famoso comeback), seja como singles, álbuns ou repackages, tudo perfeitamente embalado com as últimas tendências mundiais. Isso é um prato cheio para nós, fãs, e possibilita a criação de experimentos como essa coluna.

Nós –Tássia, Ingrid, Juliana e Priscylla – vamos comentar todos os meses os melhores (e piores) comebacks desse cenário musical que é tão viciante quanto incrível, que deixa a gente sonhando com um país do outro lado do mundo, e que abre nossa mente pra tanta coisa que não imaginaríamos antes.

Esperamos que se divirta :)

 

GFriend – Fingertip

Tássia: Eu AMEI isso. E pensar que ano passado eu não suportava GFriend por achar que elas faziam um aegyo bobo e sem sal, mas desde “Navillera” elas vêm evoluindo e me conquistando. Achei incrível o clipe cheio dos efeitos especiais, e o inegável triângulo amoroso entre Yerin, SinB e Eunha que, mesmo feito pra agradar os oppas do exército, dá uma dinâmica interessante. Enfim, um dos melhores comebacks do ano – até agora.

Juliana: Eu tinha visto outros MV’s do grupo e não gostei, não era meu tipo de música, mas esse foi uma ótima surpresa começando pela coreografia maravilhosa. Eu tenho uma birra enorme com girlgroups que fazem coreografias simples e sem graça, me parece um desperdício de talento, já que treinam tanto pra isso. No mais, elas  estavam tão lindas no vídeo, cada vez que revia ficava admirada.   

Ingrid: Eu gosto de GFriend desde que parei realmente para ouvir. Antes, só julgava como muito clichê ou um aegyo meio forçado, mas elas vieram crescendo pra mim. Meu single e coreografia favorita ainda é “Rough”, mas gostei bastante de “Fingertip”, principalmente porque elas se propuseram a fazer algo (ao menos, esteticamente) diferente. Quanto às teorias, confesso que não entendi nada, mas curti as referências à constelação de Orion. Pena que a Coreia não gostou muito e que, provavelmente, elas vão voltar pro aegyo colegial no próximo comeback.

Priscylla: Eu gostei bastante do vídeo porque não é tão aegyo (o que me incomoda, geralmente), mas eu não gosto da música. Faz sentido? Apesar de não ser fã do grupo, é legal ver as meninas fazendo algo diferente.

 

Taeyeon – Fine

Tássia: SONEs, não me levem a mal, eu adoro a voz da Taeyeon quando ela não está gritando enlouquecida que nem nessa faixa. Intragável pra mim. Preferi muito o B-Side sem refrão “I Got Love”. Darkyeon >>> Gritaeyeon. E se é pra falar de solos femininos, esse aqui na minha opinião ficou mil vezes melhor.

Juliana: Eu amei demais toda a estética desse MV! A música é diferente do que estou acostumada a ouvir em kpop, mas gostei. Os gritos e notas altas seguidos por uma queda (?) na melodia me lembraram muito da Taylor Swift.  

Ingrid: Tá bom, mas não é meu estilo de música favorito. Ainda acho “Why” o melhor single solo dela.

Priscylla: Eu amo a fotografia desse MV e adoro a música, exceto pelo refrão que a voz dela já me irrita de leve. Conta como ‘gostei’?

 

Victon – Eyez Eyez

Tássia: Olha, a Ingrid já me mostrou o potencial desses meninos, então fica difícil defender essas title tracks que eles tem escolhido. A música não é ruim, é só esquecível, e estranhamente me lembra a versão século XXI de “Ice Ice Baby”.  

Ingrid: Fico MUITO feliz que desistiram do aegyo do flopado single debut – que deveria muito ter sido a ÓTIMA “What Time is It Now”, usada apenas como trailer do álbum – porque eu realmente gostei desse! Curti muito o MV e a coreografia, e a música vai melhorando conforme você vai ouvindo!

Juliana: Não é ruim, porém é muito provável que não volte a ouvir a música, caso contrário vou sempre lembrar de “Ice Ice Baby” graças à Tássia! O MV tem alguns momentos “design is my passion” cheio de efeitos, que deixou tudo um pouquinho mais brega.

Priscylla: Eu descobri esse grupo pelo Weekly Idol esses dias e adorei, fui catar mais info sobre. Eu gosto muito dessa música, do MV e da coreografia. Eu gosto da batida porque é diferente e gosto de coisa estranha. Mas agora vou eternamente lembrar de “Ice Ice Baby”. Obrigada, Tássia.

 

GOT7 – Never Ever

Tássia: Terminando a trilogia Flight Log (todo mundo tá cheio das trilogias no Kpop, né, por que será? Haha), GOT7 voltou com a versão audível de “Hard Carry”, porém não muito melhor. Volta pra “If You Do”, por favor, JYP, tava dando tão certo. Fora isso, acho que o grande destaque é a beleza desses meninos e a teoria por trás dos MVS.

Ingrid: Pelo teaser eu tava esperando uma “Don’t Recall” com um clip de grande orçamento, mas veio uma “Hard Carry” mais lenta. A música vai impregnando na cabeça, mas o GOT7 tem logo que voltar para “If You Do” e fazer o que faz de melhor.

Juliana: Fãs de GOT7, me desculpem, o MV é incontestavelmente bem produzido, só achei tudo mais do mesmo e já preenchi a vaga de boygroup com 7 integrantes na minha vida.

Priscylla: Eu já meio que desisti do GOT7 porque tenho uns probleminhas aí com o grupo, mas tive leve esperança nesse MV unicamente pela música. No começo, até que curti bastante, pra ser bem realista. Daí o refrão foi o balde de água fria pra eu deixar de ser trouxa.

Tássia: Já que tá todo mundo decepcionado, vou dar uma dica de outro grupo com 7 integrantes e que debutou com a farofa que o GOT7 esqueceu de lançar.  

Ingrid: Já pode escolher bias nesse MVP que mal debutou e já considero pacas? Essa música pareceu demais uma versão 2.0 de Mr. Simple o que me deixou MUITO feliz hahaha #VoltaSuju

 

B.A.P – Wake Me Up

Tássia: B.A.P. é um grupo TÃO injustiçado. Eles debutaram com tanto sucesso e com um conceito que praticamente moldou vários outros debuts, mas processaram a gravadora e perderam ímpeto justo quando era para estarem atingindo o auge – e o pior é que não deu em nada, eles voltaram pra mesma gravadora no final das contas. Continuam lançando singles bons, porém, e “Wake Me Up” é mais um exemplo, além de abordar um tema importantíssimo – a saúde mental – de forma honesta e direta. Vale lembrar que o líder do grupo, Yongguk, ficou afastado das atividades do grupo ano passado por conta de um distúrbio de ansiedade.

Juliana: Vejo tão poucas pessoas falando de B.A.P, é uma pena, além de abordar um assunto tão importante como a saúde mental, o MV tem um cast diverso de atores, algo que raramente encontro nesse meio. Quanto à música, gostei ainda mais por ter vários versos de rap (não sou uma grande fã de baladas).

Ingrid: Ótima música, ótima letra e ótimo MV, nunca vou entender por que a Coreia rejeita tanto o B.A.P! Esse comeback foi muito bom e merecia mais reconhecimento.

Priscylla: Eu amo B.A.P. com uma força que olha. Esse MV é MARAVILHOSO demais. A música é ótima e daquelas que você sabe que vai ouvir de novo e de novo e de novo. O tema, nem se fala. É tão importante fazer música sobre temas que afetam e influenciam pessoas. Coreia tá bem dormindo com o B.A.P.

 

BTOB – Movie

Tássia: BTOB finalmente desencantou das baladas sonolentas e lançou algo mais animadinho. A música é ok apenas, portanto nunca vou entender por que a Coreia enaltece tanto esses caras. O clipe é divertidinho, com os integrantes reencenando cenas de filmes como Kill Bill e 8 Mile.

Juliana: A canção tem uma batida animada e aliada ao MV engraçadinho as chances de algo dar muito errado eram poucas. Só achei o Jung Il-hoon ridículo de Joker com tantos personagens melhores pra escolher. E estou levemente apaixonada pela atriz. Nome? Alguém?   

Ingrid: Farofinha boa, mas não sou capaz de opinar porque conheço nada de BTOB. Pra quem nunca tinha ouvido, gostei, e o MV ta muito bom também.

Priscylla: Esse MV é muito fofo/engraçadinho, mas a música não colou na minha mente. Não que eu tenha achado ruim, gostei mesmo, mas não deixou nenhuma marca em especial.

 

Brave Girls – Rollin’

Tássia: Girlgroups ganhando de lavada o mês de março. Melhor single das Brave Girls até agora. Não tenho muito o que dizer, só que essa farofa fica melhor ainda com o live feat. Yujeong linda sorridente <3

Juliana: A música é boa, mas o MV é tão fraquinho. Fora a coreografia só tem alguns  filmagens das integrantes, que parecem, como a Tássia tão bem colocou lá em cima, terem sido feitas para agradar opa no exército. Achei que teria algo envolvendo elementos sobrenaturais quando apareceu aquela lua gigante e os olhos mudaram de cor, foi meio decepcionante.  

Ingrid: Brave Girls fazendo conceito sexy com uma música alegrinha com certeza funcionou! Mas confesso que nas lives dá um nervoso delas de salto em cima daqueles banquinhos, o receio de a qualquer momento elas caírem só passa quando elas tão bonitinhas com os dois pés no chão,  hahaha.

Priscylla: Primeiramente: que figurino maravilhoso. Adorei tudo, a música é bem dançante e boa de ouvir, achei a coreografia o máximo. Só tá me agoniando essa onda de coreano usando lente (não na parte que os olhos mudam, claro), não sei o motivo, mas tá.

 

Monsta X – Beautiful

Tássia: Eu não sei se é porque sou biased, mas adorei. Esse início quebrando tudo é totalmente inesperado e, pra mim, o ponto alto da música. O refrão foi um pouquinho menos do que eu esperava, podia ter continuado com todo o poder do início, mas dá um contraste interessante. Espero que a Coreia aceite e que venha o 1st win pra esses lindos <3. Quanto ao clipe, não entendi nada, se alguém tiver teorias, por favor, me expliquem.

Ingrid: Além de a música ser ótima, Minhyuk canta o refrão e Hyungwon tem muitas linhas, é isso mesmo? Parabéns, Starship, a visual line existe!!!! E, ao contrário da Tássia, amei que a música foi evoluindo e não seguiu na vibe pesada do início, porque eu queria uma música nova, não uma “Trespass” 2.0! Quanto às teorias, por favor alguém esclareça o que o futuro pós apocalíptico tem a ver com Stranger Things que termina neles dentro de cofres cheios de ouro?! E a coreografia? Especialmente o break de 1:17 até 1:28 tá incrível!!!

Juliana: Meus exatos pensamentos ao ver isso: “quem é o primeiro cantor? Acho que tenho um novo bias. Peraí, quem é o segundo cantor? Pois acho que tenho outro bias. Por que ninguém nunca me falou que Monsta X era bom?”. Amei demais o começo da música e fiquei empolgada para conhecer as outras produções do grupo.

Priscylla: MAS PODE USAR CAPSLOCK NESSE SITE? PORQUE EU NÃO SEI ME EXPRESSAR SOBRE ESSE CLIPE SEM BERRAR. Se antes dessa frase meu texto estiver em caixa baixa, foi na revisão que me podaram, mas fique registrado que eu estava berrando, de fato. [N. da Ed.: revisão não botou em caixa baixa, a gente ama capslock aqui no Headcanons!] Monsta X é um dos meus grupos favoritos, então pode ser que eu esteja puxando sardinha. Eu amo essa música, ouvi umas 178x e não enjoei. Amo a rapline nessa música, em especial. A parte das teorias do MV já está bem fora do meu alcance porque eu sou a mais poia quando assunto é teoria de MV, nunca noto nada. Mas que MV, hein, mores? Que coreografia, hein? Que tiro.

 

PRISTIN – Wee Woo

Tássia: Adorei isso também! Mas pelo visto sou a única. Achei o carro de polícia concept grudento e bom demais. Mas vamos falar do verdadeiro destaque: só tem menina linda, que que isso, Pledis? Quem é Twice perto de PURAS? Também vale pelo choque de perceber que metade delas é uma década mais nova do que eu. Pois é.

Ingrid: Isso aqui tá muito bom até o pré-refrão, mas não entendi por que diminuíram o ritmo no morno refrão com apenas “wee woo”, tornando-o a parte mais fraca da música. As meninas são boas e têm talento, mas a Pledis ainda tem que trabalhar em uma “Mansae” para elas estourarem.  

Juliana: Assim, eu odiei as partes com aegyo vozinha fofinha e amei todo o resto. Elas tem muito potencial – me sinto pedante demais dizendo isso, porém verdade – e ficarei de olho nas próximas produções. Ainda chocada que a Kyla tem apenas 15 anos.

Priscylla: Eu vi um post aí pela rede mundial de computadores dizendo que PRISTIN vai ser próxima grande sensação de girl group. Daí fiquei meio já esperando conceito fofinho porque esse povo curte, o que me irrita, como já falei várias vezes só aqui. Mas quando assisti a esse MV – que, segundo os fãs, não foi melhor escolha pra title track –, só achei chatinho os primeiros segundos da canção, depois me apeguei à música. O MV achei um pouco confuso porque tem umas fazendo aegyo e do nada uma surge agindo sexy. Ou aqui ou lá, né, meus anjos.

 

HIGHLIGHT – Plz Don’t Be Sad

Tássia: Pelo visto o ex-B2ST nem precisa do HyunSeung, né? Só eu que sinto falta (saudades, bias). Tá lindo o re-debut, a faixa é simples e viciante na medida certa. Não muda a vida de ninguém, mas é muito bem-vinda.

Ingrid: Ninguém acreditava, mas aconteceu! Highlight é um sucesso! O próprio Doojoon declarou que “parece um milagre”! Eu adorei a música e gostei ainda mais por ser uma vibe alegre e pra cima na medida certa, porque confesso que fico em choque com grupos de idols de 27 anos (média de idade dos integrantes do B2ST, ops, Highlight) que já fazem comeback de tiozão! O MV também é muito bom e os dançarinos deram uma ótima complementada pra reforçar o clima de festa da música! Com esse single no topo do Melon, a Cube agora deve estar chorando por ver que sua ex maior fonte de renda está se sustentando muito bem sozinha, mesmo sem direito a nada do que construiu por anos. O que será da Cube sem BEAST e 4MINUTE, tendo que viver de Pentagon, CLC, Hyuna e BtoB, só o tempo dirá.

Priscylla: O MV é alegre, a música é chiclete no melhor sentido possível. Só achei a coreografia fraca, mas é porque a gente pensa em KPOP e já imagina os caras voando pelo stage fazendo quadradinho de oito no ar. Mas daí realmente é culpa minha, não do grupo. Torcendo pro Highlight dar muito certo!

Juliana: Eu nunca ouvi falar de B2ST antes desse post. Achei muito bacana que os integrantes fundaram a própria empresa e estão fazendo música do jeito deles. Estranhamente o MV me lembrou FXXK IT do BigBang. A canção é bem animada e divertida, sei que daqui a algum tempo vou enjoar dela, mas por enquanto gostei bastante.

 

Girl’s Day – I’ll Be Yours

Tássia: Não sabia que Mamamoo tinha voltado com o nome de Girl’s Day! Uma pena, eu esperava uma “Expectation” 2.0, mas tenho que me contentar com um rascunho de “Décalcomanie”. Pior que já to vendo isso tocando em tudo quanto é lugar. Plus: O que fizeram com o cabelo da Hyeri? O que são esses efeitos estranhos no MV? E essa tipografia feita às pressas? Tragam de volta o meu Dia das Garotas.

Ingrid: Apesar de eu ter gostado mais da música bônus  da promoção, Love Again, eu ADOREI isso!!! O MV é incrível – sorry, Ta, mas Hyeri está M A R A V I L H O S A com aquele longo branco em um RINGUE DE BOXE – e as vozes delas tão impecáveis! Gostei bastante, vale a conferida!

Juliana: AMEI! O conceito não tem nada de original e, convenhamos, é bem breguinha. Também não entendi a tipografia de paint, ou a função daquelas luzes piscando e não vou nem falar da coreografia. Mas, gente, “baby, i’ll be yours” é tão viciante. O ponto forte, sem dúvida, está nos vocais e  apesar de geralmente gostar mais das partes em rap – caso não tenham notado –, adorei de cara.  

Priscylla: Amei tudo nesse clipeeeeeeeee. Vou chamar de clipe SIM porque quando vi, gritei ‘ai que clipe maravilhoso’ e não ‘ai que MV maravilhoso’. Achei música chicletinho e já me vejo dançando no banho cantando baby, i’ll be yooours.

 

Bônus: RM, Wale – Change

Ingrid: Com a honra de indicar o primeiro bônus dessa coluna maravilhosa, não poderia deixar de recomendar o HINO do nosso querido Monstro do Rap (vulgo líder do BTS) com o rapper americano WALE. Colab que nasceu em meio a amor de fã e tretas (boatos que as br-armys salvaram o dia, EU AMO, EU TAVA LÁ), resultou em uma música toda em inglês que fala sobre os problemas da Coreia do Sul e dos EUA. É interessante notar as realidades diferentes dos dois países, já que enquanto Rap Monster critica a escola (algo que, por incrível que pareça, é problemático por “viciar” os jovens no estudo) e as tragédias geradas por redes sociais como twitter, WALE fala de racismo, voto e políticos conservadores. O MV também é excelente, demonstrando através de metáforas todas essas questões e enquadrando os rappers por diferentes ângulos. Além de tudo, homenagens aos “Moonz” e “ARMYS” – fandom do WALE e do BTS, respectivamente – são feitas durante a música, que termina otimista, pregando a união e ajuda de todos. <3

Tássia: Honestamente, quando essa música começa a ficar boa, ela acaba. Antes dos 03:35 minutos temos uma versão sonolenta de “Where Is The Love?” sem a Fergie, onde nem a letra se salva. RapMon faz composições mais inspiradas em qualquer single do BTS. Porém, o maior problema pra mim foi o rap do Wale, que se utiliza de trocadilhos bem pobres como “Procurando por uma Song [música, em inglês] / HyeKyo, hey graciiinha” (Song HyeKyo é uma atriz coreana). Alguém me diz o que essa linha tem a ver com o resto de uma música que protesta contra diversas opressões? Soou tão gratuito que peguei implicância. O refrão também me incomoda, o uso da frase “World is gonna change” (Mundo vai mudar), sem pronome ou questionamento me soa tão passivo, do tipo “Vamos esperar sentados”. Se o futuro for baseado nessa música, pelo visto vamos mesmo.

Priscylla: BTS é meu ultimate group, é onde tá meu utt bias (Taehyung) e foi por causa deles que entrei no mundo de kpop. Então juro juradinho que amo de paixão esses meninos. Eu não gostei taaanto assim de Change. Epa, baixa essa faca aí que já falei que amo RM. Mas não é bem o tipo de rap que eu curto ouvir. A letra é muito boa, amei, mas tem sim uns problemas aí que não tem que passar batido (vide comentário da Tássia) e essa colab foi muito boa pro RM e, consequentemente, para o BTS. O fato de ter menção ao ARMY na parte do Wale me fez gritar horrores. Achei que vai render ainda mais visibilidade pro grupo e ainda através de uma mensagem (no geral) tão importante: só vi vitória, apesar de tudo.  

Juliana: BTS também foi o grupo que me fez entrar no Kpop, amo esses meninos e por mais que tente não consigo ter um só bias. Eu gostei de Change e não sei ser nem um pouco objetiva quanto a ela. Sabem aquele orgulho de fã? Então. Como a Tássia colocou tem alguns problemas, mas também há todas as coisas boas que a Ingrid mencionou. Eu achei a letra idealista a cara do Namjoon (a.k.a Rap Monster) e não é a primeira música que ele faz música criticando a escola e o modelo de ensino. Foi tão amorzinho ele sorrindo no final do MV <3

 

Playlist com todas as músicas dessa coluna + algumas que ficaram de fora:

About Ingrid Luisa 3 Articles
Apaixonada por cultura pop e movida a musica. Fã de um rock que transite entre Nirvana e Oasis, costumava ir ao cinema religiosamente todo fim de semana e jura todo ano retomar esse hábito. Há uns tempos foi atraída pelo lado oriental da força e, desde lá, vem colecionando mangás e álbuns de kpop. Saiu de Teresina direto para a Paulicéia Desvairada com o sonho de cursar jornalismo, mas não consegue se acostumar com o frio e a garoa que insistem em assolar essa cidade. Encontrá-la é fácil; se não estiver pelos corredores da ECA ou comprando uma tapioca pelos trailers, certamente estará em eventos de fãs como AnimeFriends, Kdt ou CCXP, sempre exaltando e enaltecendo seus maiores ídolos: Kurt Cobain, GDragon e Naruto Uzumaki.

1 Comment

  1. Bem legal isso, ler a opinião de várias pessoas sobre cada lançamento!!!!!

    Vocês tem algum post com cada uma se apresentando individualmente, com mais detalhes???

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*