7 motivos para shippar… Marissa Cooper & Summer Roberts

Marissa e Summer em "The Aftermath", episódio 2x1 de The OC

Jogue a primeira pedra quem não é viciada em séries de TV. Para mim, o que faz séries de TV serem viciantes, acima de tudo, são seus personagens; melhor ainda quando esses personagens têm uma conexão tão forte que você não consegue não shippar. Quem nunca se viu assistindo um filme, lendo um livro e pensando que aquelas duas personagens foram feitas uma para outra? Seja em amizade, como dupla para salvar o mundo ou simplesmente como almas gêmeas? Agora imagine isso tudo além de uma relação amorosa. É isso que eu vou te trazer aqui: casais de mulheres que nunca aconteceram, mas poderiam facilmente ser feitas uma pra outra. 

Vem pro lado colorido da força comigo!

Desde que a Netflix começou a ressuscitar séries colocando-as no seu catálogo, uma das mais pedidas era The O.C. Se você foi uma pré-adolescente até metade dos anos 2000 vai entender a febre e como essa série, e as relações entre os personagens, influenciaram muita gente, inclusive sendo uma introdução para o mundo das séries no geral. E The O.C era muito mais do que Marissa e Ryan ou Seth e Summer. Era sobre amizade, inclusive feminina. E quando é mais que amizade? Quando tem tudo para virar um romance? Acha impossível? Tenho alguns motivos para te convencer: 

  1. Marissa sempre foi uma personagem fechada e com dificuldade para dividir o que estava pensando/sentindo e conversar, mas com a Summer as coisas fluíam. Existia uma amizade, intimidade e confiança que fazia Coop se sentir confortável para falar o que precisava sem pensar duas vezes para Summ. Existia um diálogo.
  2. Não existiam julgamentos entre as duas. Marissa passou por muitas fases e mudanças na série, muito mais que Summer (que também teve um amadurecimento e momentos um tanto quanto estranhos), mas, independente de quem elas eram no momento, as duas nunca julgaram ou as mudanças uma da outra. No máximo, tentaram ajudar quando o caminho que alguma – cof Marissa cof – seguia não era o melhor.
  3. Diferente de outro casal de amigas famoso da época – estou olhando para vocês, Blair e Serena –, elas nunca brigaram por meninos. Entre todos os problemas que existiram entre as duas, uma competição pela atenção do mesmo garoto não foi um deles. O ciúme nunca foi de alguém, mas uma da outra.
  4. Coop e Summ se conhecem desde pequenas, gostam das mesmas coisas, se entendem de uma forma diferente de qualquer personagem, então existe uma ligação maior e mais profunda que todos os outros do núcleo jovem, da série.
  5. Como falamos ali em cima, Marissa passou por muitas fases, muitos relacionamentos com pessoas diferentes, muitos – e coloca muitos – problemas em sua vida. E quem sempre esteve ali do lado? Quem falou pro Ryan tomar atitude várias vezes? Quem deu um acorda no Seth quando ele estava sendo… bom, simplesmente ele mesmo? Independente de tudo as duas conhecem uma a outra mais do que ninguém e estiveram ali quando ninguém mais esteve. 
  6. Se tem algo que descobrimos desde o episódio piloto é que as duas não precisavam de ninguém para se divertir muito.
  7. Nem tudo estava perdido quando já tínhamos meio caminho andado: a bissexualidade de Marissa. Se Marissa, que até certo dia se identificava como heterossexual, se descobriu atraída por meninas, principalmente meninas que ela nunca esperava, quem sou eu para falar que a Summer não poderia sentir o mesmo? Ainda mais por alguém que ela também não poderia esperar?

Quem sabe como seriam as coisas se um menino nerd junto com o seu amigo que veio de Chino não tivessem aparecido? Acredito que muito diferentes.

 

About Tany 5 Articles
20 e muitos anos, arquiteta, descobrindo e morando em São Paulo. Viciada em cultura pop, filmes, séries, livros, jogos e o que mais você colocar na frente. Tenta consumir tudo ao mesmo tempo mas sabe que nunca vai conseguir. Gosta de viajar, cozinhar e conversar sobre todo e qualquer assunto. Não sabe o que é dormir, mas sabe o que é sonhar.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*