Sonhos no gelo: Tessa Virtue e Scott Moir

Um dos meus filmes favoritos na infância era Sonhos no Gelo. Eu ficava completamente fascinada com a disciplina e técnica que alguém deveria ter para ser bem sucedido na patinação artística no gelo. A Bruna de 10 anos pensava que era impossível uma pessoa se equilibrar e dar saltos tão altos e elaborados com apenas uma lâmina de metal nos pés. Apesar de hoje entender um pouquinho (pouco mesmo) melhor o aspecto físico do esporte, ainda fico impressionada com o que o nosso corpo é capaz de fazer com patins numa pista gelada.

Desde o fascínio da infância, eu assistia alguns vídeos de patinação vez ou outra, mas só foi com as Olimpíadas de Inverno de 2014, em Sochi, que eu realmente me apaixonei de novo por ice dancing (uma das categorias da patinação artística) e, mais especificamente, pela dupla Tessa Virtue e Scott Moir.

Esperando as aulas da faculdade começarem, eu passava o dia na frente da TV assistindo a praticamente toda a programação das Olimpíadas. Consegui acompanhar as apresentações de patinação desde o início, mas apesar de gostar bastante das categorias individuais e de dupla, a que me encantou mais foi a de ice dancing. Cada dupla que passava pela pista era única e mágica na sua própria maneira.

Ao contrário das categorias individuais e de pares, o ice dancing envolvia uma dramaticidade maior, um dos principais diferenciais dessa categoria. Assim, considero que o ice dancing é mais uma performance artística do que técnica – não é por acaso que alguns movimentos mais complicados não são permitidos nessas apresentações. Como sempre fui apaixonada por dança, não tinha como eu preferir outra categoria.

Entre todas as duplas competindo em Sochi no ice dancing, a que mais me impressionou foi Tessa Virtue e Scott Moir. A apresentação deles tinha uma leveza que as outras não mostravam. Além da técnica impecável, eles apresentavam movimentos lindos e divertidos e um companheirismo impecável. A felicidade dos dois transbordava na pista e deixava todo mundo encantado.

Como fiquei fascinada com a qualidade da dupla, decidi logo pesquisar sobre eles na internet. Descobri que Tessa e Scott treinavam juntos desde crianças e já tinham levado ouro nas Olimpíadas de Inverno 2010 em Vancouver. Procurei mais vídeos de apresentação e entrevistas e notei que ice dancing era tudo para eles. O nível de comprometimento com o esporte e um com o outro era (e ainda é) lindo de se ver!

Tessa colocou na bio do seu instagram (@tessavirtue17) que patina há 19 anos com o Scott. Em relação a outras duplas, eles são provavelmente os que estão há mais tempo ativos no esporte. É muito legal notar que durante todos esses anos eles construíram uma amizade forte e verdadeira, sem se resumir apenas ao ice dancing.

Em diversas entrevistas é possível observar o tanto que Scott e Tessa se conhecem bem e tem uma relação leve e divertida. Neste vídeo de “who’s most likely to?” e neste de perguntas e respostas, os dois praticamente não hesitam na hora de responder.

Apesar de toda a pressão que a dupla deve sentir durante as competições, eles nunca perdem o bom humor e estão sempre dispostos a oferecer um abraço ou palavras de carinho e apoio no início e fim de todas as apresentações. Um dos meus momentos favoritos ocorreu recentemente no NHK Trophy. Após o Free Dance, Tessa e Scott sorriram bastante e expressaram o orgulho que possuem um pelo outro.

A paixão só aumentou depois de passar horas pesquisando tudo que era possível sobre Tessa e Scott. Mas, para minha tristeza, depois de Sochi eles decidiram dar um tempo de competições. Continuei acompanhando algumas apresentações da dupla em programas de TV, mas deixei de acompanhar as competições porque no fim das contas eu me apaixonei mesmo pelo casal.

Mesmo durante o período em que não competiram, a dupla manteve a amizade intacta. Inclusive, foi durante uma viagem de carro que Tessa e Scott decidiram voltar para as pistas de gelo. O fato de nunca cogitarem trocar de parceiro, como outras duplas já fizeram, e simplesmente entrarem em acordo sobre o momento certo para retornar ao mundo das competições diz muito sobre a ligação que os dois possuem.  

Após sair a notícia confirmando que eles iriam competir novamente e tentar uma vaga nas Olimpíadas de Inverno em 2018, eu não poderia ter ficado mais feliz! Apesar de todas as dúvidas de “será que eles ainda são tão bons quanto antes?” que surgiram por quem acompanha o esporte, Tessa e Scott não decepcionaram.

Segundo eles, o retorno foi motivado pelo amor pelo esporte. Embora ambos tenham continuado praticando, eles queriam sentir novamente aquela emoção de competir e dar o melhor deles na pista. Além disso, Tessa e Scott queriam testar coisas novas e mostrar um outro lado da dupla.

Depois de uma temporada marcada por ouro em todas as competições que participaram – inclusive no Grand Prix Final em que eles sempre ficavam em segundo lugar – e a quebra de alguns recordes, não há quem discorde de que eles precisavam voltar para o ice dancing. É maravilhoso ver aquela sincronia, atitude, técnica, atuação e companheirismo que poucas duplas conseguem mostrar de volta no gelo. Tessa e Scott definitivamente fazem toda a diferença no mundo da patinação artística.

Por fim, para quem quiser conferir essa dupla maravilhosa, deixo aqui minha apresentação favorita dos dois na season 2016-2017:

About Bruna Lindoso 1 Article
Bruna é uma estudante de Direito neurada que acha que bolo de chocolate e 10 horas de sono curam todos os problemas da vida (ou pelo menos 70% deles, vai). Adora ganhar tempo lendo romances e sofrendo por ships com bad timing. Além disso, sonha alto demais para o seu próprio bem e tem uma paixão incontrolável por coisas de papelaria e músicas que falam sobre o amor.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*